04/05/2018
Apetite
Precisamos desesperadamente de algo que nos sustente e nos mantenha vivos, que nos sacie de fato. Jesus, o Pão da vida, é o único que realmente traz saciedade
Redação CPIMW

“Jesus declarou: ‘Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome’.” (Jo 6.35ª)

Leitura: Gênesis 3.1-7


Existe uma clara distinção entre fome e apetite. A fome está relacionada a uma necessidade biológica, enquanto o apetite se liga a um desejo emocional. A saciedade da fome não é necessariamente a saciedade do apetite. Aquilo que nos alimenta e sustenta nem sempre nos apetece, e vice-versa. Nossa necessidade de alimento é algo constante, nosso apetite varia muito. Jó afirma que o doente não deseja nem mesmo a comida mais gostosa e acha repulsiva até mesmo sua refeição preferida (Jó 33.20), e Salomão diz que o faminto não escolhe paladar, pois para ele até o amargo parece doce (Pv 27.7).

Jesus afirmou ser o pão da vida, aquele que preenche e satisfaz as necessidades mais essenciais da nossa alma, que muitas vezes são contrárias ao nosso desejo. Quando precisamos de repreensão, buscamos elogios. Quando deveríamos nos calar, gritamos. Quando o que nos saciaria é a simplicidade, desejamos a opulência. Em vez de discrição, preferimos exposição. No texto que lemos hoje, Eva comeu do fruto apontado pela serpente não por fome, mas por desejo. Aquele fruto de repente lhe prometia vantagens adicionais: além de comer algo agradável, ela poderia ser igual a Deus!

Não creio que Deus nos impede de desejar, o problema é para onde direcionamos nosso desejo. O desejo é algo forte e às vezes difícil de controlar. Quando se trata de uma paixão carnal e egoísta, sua satisfação costuma vir acompanhada por uma culpa e um sentimento de derrota que aumentam ainda mais o vazio da alma. É quando vem a fome de verdade. Precisamos desesperadamente de algo que nos sustente e nos mantenha vivos, que nos sacie de fato. Jesus, o Pão da vida, é o único que realmente traz saciedade. E ele mesmo, ao ser confrontado com a fome física, afirmou que mais importante que encher o estômago era saciar a fome pela Palavra de Deus (Mt 4.4). Como anda a sua fome?

Leonice Fonseca Souto de Souza, extraído do livro Devocional Wesleyano

 

MAIS LIDAS

Mesa, lugar de comunhão
É tempo de restaurar os elos da comunhão


Deserto
O deserto tem um conteúdo simbólico muito grande na Bíblia


A Verdadeira Adoração
Vamos começar com uma pergunta: o que você sabe sobre adoração?


Mensagem na olaria
Deus nos molda como o vaso na mão do oleiro


Aflição
Por que Jesus nos permite passar pela tempestade?



NOVIDADES
WTV

 FACEBOOK  WTV  NEWS
Centro de Publicações da Igreja Metodista Wesleyana com sede na Avenida Venâncio, 17 - Xerém
- Duque de Caxias - RJ - CEP 25245-500 | CNPJ: 15.732.218/0001-08

© Todos os direitos reservados. 2016