24/08/2018
Ministração x Pregação
Precisamos entender cada dia mais a responsabilidade que temos quando estamos à frente de um culto
Redação CPIMW

Confira na íntegra o que o ministro de louvor Higor Cardoso disse sobre Ministração x Pregação:
    
“Em nossas igrejas muitos se questionam sobre a importância de cada parte da liturgia do culto, principalmente a diferença entre o momento de adoração e pregação. Já ouvi muitos dizerem que um é mais importante que o outro. Confesso que ouvir isso me incomoda. Entendo que tudo dentro de um Culto é importante, claro que cada ato tem sua função e objetivo diferente, mas um completa o outro dentro da liturgia. Quando lemos em Colossenses 3 do versículo 15 ao 17 vemos a importância de ser um corpo, do convívio entre os irmãos, o ensino, o aconselhamento e o louvor através dos cânticos para fortalecimento do povo. Sendo que tudo deve ser feito em Nome de Jesus, e para Ele.
 
A vida de um ministro de louvor nada deve se diferenciar da vida de um pastor e pregador. Na verdade, a vida de todo cristão deve ser baseada na busca diária por Deus através da oração e da palavra. Quando o dirigente de culto, o ministro e o pregador tem uma intimidade com Deus, se preparam durante a semana para estarem à frente de um culto, a ação do Espírito Santo é nítida. Pois tudo se encaixa, desde a abertura até o fechamento. Assim como deve acontecer, um é ligado ao outro. O que não se pode acontecer é um querer mais destaque, o momento de adoração se tornar em um espetáculo, uma apresentação; o momento da palavra apenas uma exposição de heresias e achismo humano, onde não se fala nada que seja direcionado por Deus. O ministro de louvor também não deve apenas falar e falar, pois se torna cansativo. Muitas vezes nem se faz necessário o uso de palavras entre as músicas, pois elas falam por si; cabe ao ministro a sensibilidade do Espírito para saber se colocar e direcionar a igreja nesse caminho da adoração.
 
Muito importante também é a comunicação entre o ministro e o pregador, pois através do que um tem se direcionado, pode vir ajudar ao outro no que está sendo preparado; na escolha das músicas, na introdução da palavra, se o culto terá algum tema específico dentre outras oportunidades, como apresentações de dança, teatro etc. Para que tudo se comunique e a igreja não fique perdida com tantas informações soltas.
 
Precisamos entender cada dia mais a responsabilidade que temos quando estamos à frente de um culto, seja na direção, na ministração do louvor ou na pregação da palavra. Não podemos fazer de qualquer maneira, sem reverência, apenas no automático e através somente do nosso conhecimento humano. Tudo deve ser feito através do Espírito Santo, pautado na palavra para que Deus seja o centro do nosso culto e de nossa vida.  Que toda honra e glória seja direcionada a Ele. Fazendo assim e sendo exemplo para a igreja, teremos cultos onde vidas serão verdadeiramente transformadas e a presença de Deus será palpável.”

 

- Higor Cardoso, formado em liderança ministerial com habilitação em louvor e adoração com ênfase em canto pelo Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono (CTMDT).
 

MAIS LIDAS

Louvor
O louvor deve ter como objetivo adorar ao Senhor


Ministração x Pregação
A vida do ministro nada deve se diferenciar da de um pastor e pregador


Adoração Musical x Sentimentalismo
Alguns elementos indicam o sentimentalismo como motivação


Músicos arrogantes, por quê?
Levitas foram chamados para servir


O que aconteceu com a adoração?
Estamos esperando domingo para "irmos à igreja e adorarmos"?



NOVIDADES
WTV

 FACEBOOK  WTV  NEWS
Centro de Publicações da Igreja Metodista Wesleyana com sede na Avenida Venâncio, 17 - Xerém
- Duque de Caxias - RJ - CEP 25245-500 | CNPJ: 15.732.218/0001-08

© Todos os direitos reservados. 2016