16/09/2016
A Verdadeira Adoração
A adoração é um estado do coração e mente, não uma condição. Ou você é um adorador o tempo todo ou não é.
Redação CPIMW

http://www.letrasonora.com.br/wp-content/uploads/praise.jpg

 

João 4.19-27

Adorar é o mesmo que: render honra – prestar homenagem a alguém – atribuir valor a uma pessoa ou a alguma coisa. Isaías 44:9 a 20 relata o absurdo e loucura que a adoração pode se tornar na vida de alguém: “9. Os que fazem imagens não prestam, e os seus deuses, que eles tanto amam, não valem nada. Os que adoram imagens são tolos e cegos e por isso serão humilhados. 10. É uma grande tolice fazer uma imagem para ser adorada como se fosse um deus. 11. Todos os que a adorarem serão humilhados. Os que fazem ídolos são apenas seres humanos; nada mais. Que eles se reúnam e se apresentem no tribunal! Ali ficarão apavorados e serão humilhados. 12. O ferreiro pega um pedaço de metal, coloca nas brasas e depois com toda a força vai batendo nele com o martelo até formar a imagem. Ele trabalha tanto que não come, nem bebe e acaba perdendo as forças. 13. O escultor mede um pedaço de madeira e com um giz desenha nele a figura do ídolo. Depois, com as suas ferramentas, ele faz uma estátua com a forma de um belo ser humano, para ser colocada num templo. 14. O escultor vai à floresta para cortar uma árvore; escolhe um cedro, um cipreste ou um carvalho. Ele só corta árvores bem grossas ou então planta uma e espera até que a chuva a faça crescer. 15. O homem usa uma parte da madeira para fazer um fogo; ali ele se esquenta e também assa o pão. A outra parte da madeira é usada para fazer uma imagem; e o homem fica de joelhos e a adora. 16. Assim metade da madeira serve para fazer um fogo; o homem assa a carne, come e fica satisfeito. Também se esquenta e diz: “Que fogo bom! Já me esquentei bem!” 17. Com a outra metade da madeira, o homem faz uma imagem, isto é, um deus; depois, fica de joelhos e a adora. E faz esta oração: “Tu és o meu deus; salva-me!” 18. Essa gente não tem juízo. Eles fecharam os olhos e não podem ver nada; fecharam também a sua mente e não entendem nada. 19. O homem que faz imagens não entende nada e não tem a inteligência necessária para dizer a si mesmo: “Ora, com metade dessa madeira eu fiz um fogo; assei o pão, assei a carne e comi. E com a outra metade eu fiz esta imagem nojenta. Agora, aqui estou eu, adorando um pedaço de madeira!” 20. Adorar uma imagem não adianta nada; é o mesmo que comer cinzas. O homem que adora imagens não pensa direito, mas vive enganado. Ele não pode se salvar, pois não é capaz de dizer: “Isto que está na minha mão não é um deus coisa nenhuma. ”

A Adoração faz parte da vida de todo ser humano. Todo mundo adora a alguém ou a alguma coisa. Lugares e objetos são preparados no mundo inteiro para receber adoração das pessoas.

Esse lugar que serviu como encontro de Jesus e a mulher samaritana, na Bíblia, nunca foi um lugar preparado para adoração. No entanto, foi nesse lugar, ao meio-dia, ao sol escaldante da Palestina, que Jesus vai nos ensinar sobre a verdadeira adoração. De um lado está Jesus, que acostumado à adoração de toda sua criação, agora se fez homem, abriu mão de toda sua glória e veio honrar o Pai; de outro lado, uma mulher desonrada pelos judeus por pertencer a uma linhagem judaica que se misturou com outros povos e pelo seu próprio povo pelas relações ilícitas que mantinha com outros homens.

Nesse lugar Jesus transforma uma vida profana em uma vida de adoração, a prostituta em missionária, o deserto em um manancial de águas. A verdadeira adoração exerce esse poder em nossas vidas. Ela muda nosso estado. Na verdadeira adoração, quem está triste encontra a alegria; quem está desanimado encontra ânimo, quem está amargurado encontra a doçura da vida. Nessa passagem nós descobrimos:


I – A VERDADEIRA ADORAÇÃO ESTÁ CENTRALIZADA EM DEUS.

Na divisão do reino de Israel, Jeroboão, primeiro rei do reino do Norte, excluiu os samaritanos do templo de Jerusalém, alegando que eles não eram uma raça pura, e isso fez com que, no monte Gerezim, os samaritanos construíssem um outro templo para eles adorarem a Deus.

Essa mulher passou a vida inteira entrando e saindo desse templo, entregando o sacrifício para perdão de pecados, oferecendo suas ofertas, cantando suas músicas, mas nunca teve certeza se Deus recebera sua adoração. Jesus diz a essa mulher: “Acabou esse tempo, a adoração não é uma questão geográfica, cultural, litúrgica, tradicional”. Jesus ensina a essa mulher que ela precisa romper com as tradições, estar aberta a um novo tempo, a verdadeira adoração. Jesus apresenta aquela mulher uma nova forma de culto que: 1) O culto passado deveria dar lugar ao novo – Culto Mosaico/ Culto Davítico: 2) O culto agora não estava limitado a nenhuma das alternativas apresentadas – Jerusalém ou Samaria; que agora importava quem estava sendo adorado: 3) A verdadeira adoração, agora direcionava exclusivamente a Deus – “Só ao Senhor teu Deus adorarás”.


II – A VERDADEIRA ADORAÇÃO NÃO SE LIMITA A UMA LOCALIDADE.

Jesus mostra a mulher que os dois lugares estavam corrompidos. De Jerusalém vinha a salvação, mas os judeus haviam profanado o templo. Gerezim, apesar de ser o monte das bênçãos proferidas ao povo de Israel na saída do Egito, nunca foi lugar de adoração. Jesus, nesse texto declara o fim da era dos templos. Jesus diz: “A partir de agora a adoração não estará mais limitada a um lugar, não é mais uma questão geográfica. O Filho de Deus já está entre vós, o véu que separava o homem de Deus está preste a se rasgar, o caminho de acesso a Deus está livre”. No templo construído por Salomão o culto é frio, impessoal, só o sacerdote tem acesso a Deus. No novo culto, o culto é vivo, é santo, é agradável, é íntimo, é pessoal. No novo culto, nós entramos na sala do Pai e o adoramos como os querubins e serafins e podemos dizer “Santo, Santo, Santo, é o Senhor”. No novo culto nós ficamos frente à Água Viva que flui para nosso interior e nunca mais temos sede.

Deus não está condicionado a templos, cidades, pessoas, objetos. Isso é limitar Deus, diminuí-lo. Se a sua adoração se limita apenas aos momentos em que você passa nesse lugar, você está mais fora do caminho da adoração do que essa mulher. A adoração é um estado do coração e mente, não uma condição. Ou você é um adorador o tempo todo ou não é. Se não aprendemos a adorar a Deus como modo de vida, não é frequentar um prédio que vai mudar nada. Se o Espírito de Deus está vivendo em você, você não sai do templo nunca, porque você é o templo. “O fogo arderá continuamente sobre o altar”.

III – A VERDADEIRA ADORAÇÃO É UMA QUESTÃO EXPERIMENTAL.

“Deus é Espírito, e importa que seus verdadeiros adoradores o adorem em espírito e em verdade”. Não tem como construir uma vida de adoração baseada na vida dos outros, pai, mãe, pastor etc. Você precisa ter uma experiência própria com Jesus. Precisa ter recebido seu toque, precisa vê-lo, precisa ouvi-lo, precisa sentir seu amor. Não dá para ficar imitando Ministério Diante do Trono, Apascentar, Talles, Anderson Freire, Silas Malafaia, Claudio Duarte, e tantos outros, a vida toda e não ter uma experiência profunda com Deus. Eles fazem lá, você copia aqui.

Essa mulher está frente a frente com Jesus. Por um momento, para ela, Jesus era apenas um peregrino que pedia água, mas de repente ela o descobre como profeta, alguém que a cidade deveria ver, ouvir, receber o que Ele está oferecendo. Você só será um adorador depois que ver em Jesus o que Ele é. Poderoso, Criador dos céus e terra, Salvador, Filho de Deus, Profeta. Deus é espírito, só recebe adoração que parte do espírito.

 

 

Pr. Agnaldo Valadares

MAIS LIDAS

Mesa, lugar de comunhão
É tempo de restaurar os elos da comunhão


Deserto
O deserto tem um conteúdo simbólico muito grande na Bíblia


A Verdadeira Adoração
Vamos começar com uma pergunta: o que você sabe sobre adoração?


Mensagem na olaria
Deus nos molda como o vaso na mão do oleiro


Aflição
Por que Jesus nos permite passar pela tempestade?



NOVIDADES
WTV

 FACEBOOK  WTV  NEWS
Centro de Publicações da Igreja Metodista Wesleyana com sede na Avenida Venâncio, 17 - Xerém
- Duque de Caxias - RJ - CEP 25245-500 | CNPJ: 15.732.218/0001-08

© Todos os direitos reservados. 2016